Lançamento de “Kaori: Perfume de Vampira” de Giulia Moon

12/08/2009

Convite: Kaori: Perfume de Vampira

Anúncios

Lançamento de “Os Guardiões do Tempo” de Nelson Magrini

12/08/2009

Convite: Os Guardiões do Tempo


Universo Taikodom em 36 anos?

07/08/2009

Para os que não conhecem, o Universo Taikodom é um jogo online desenvolvido pela Hoplon Infotainment. A história do jogo explora – entre outros temas – a criação de um chip chamado ONI (Organizador Neural Intracraniano) implantado no cérebro e capaz de criar uma realidade virtual conectando todos os que o utilizam em uma única rede. Com o ONI você é capaz de executar todas as funções atualmente presentes em um computador (e muito mais!) diretamente em seu cérebro.

No dia 03 de Agosto, 2009, o jornal o Estado de São Paulo publicou uma matéria sobre um cientista norte-americano que acredita que as limitações humanas como inteligência, memória e até mesmo a morte, serão basicamente extintas.  Na matéria “No futuro, as cabeças estarão na rede”, o cientista disse:

“Em 2046, o homem fundido com a máquina irá multiplicar em bilhões de vezes a sua inteligência, comparando com o que somos. Nesse ponto, será tão simples fazer um backup do nosso cérebro quanto fazemos o do nosso computador”.

Ele se refere a nanochips que estarão correndo pela nossa corrente sanguínea e serão implantados em nosso cérebro, fazendo com que todos sejam parte da mesma rede.

Ray Kurzweil é um renomado cientista, formado pela Universidade MIT (Massachusetts Institute of Technology), um dos principais laboratórios de nova tecnologia do mundo. Ele foi considerado o “Mais esperto (ou mais maluco) futurista na Terra” pelo artigo da CNN Money em Maio de 2007, foi incluido no Hall da Fama dos Inventores Nacionais” em 2002 por inventar a máquina de leitura Kurzweil que possibilita a leitura de materiais impressos para aqueles com dificuldades visuais, etc.

É interessante ver uma questão abordada em um jogo online de ficção científica sendo também explorada por um cientista renomado. Isso nos mostra que cada vez mais a ficção científica está diminuindo as barreiras entre ficção e realidade. Idéias como a de uma rede global de consciência humana (tipo uma internet com sentimentos) e do controle de ações cerebrais através de aparelhos ou chips (como o controle do seu próprio humor)  já vem sido abordadas desde clássicos da ficção científica como Do Androids Dream of Electric Sheep? de Philip K. Dick, publicado em 1968.

Minha Opinião: Apesar de não acreditar que a teoria apresentada pelo cientista acontecerá em menos de 50 anos, a idéia de um nanochip implantando em nosso cérebro, capaz de armazenar informações e processar tarefas, me parece bem plausível. Esse seria o passo mais lógico para a ampliação de nossa capacidade cerebral. Quando isso acontecesse, computadores de uso pessoal se tornariam obsoletos já que todas as funções poderiam ser feitas em nosso cérebro. E então? Como ficaria a internet? Não seria lógico também transportá-la para os nossos cérebros?

Plausível ou Loucura? Deixe sua opinião!



A Caverna de Cristais: O Arqueiro e a Feiticeira

07/08/2009

Autora: Helena Gomes

Editora Idea

Nota: 8,7

Queria começar dizendo que este livro não é um livro de fantasia, apesar de parecer devido ao cenário para o qual somos transportados logo no início. O mundo de Britanya possui elementos bem medievais como castelos, cavaleiros, nobres e reis – levemente influenciado pelas histórias do Rei Arthur. Também encontramos elementos da época feudal européia como a ignorância (no caso de Britanya, ler é proibido), a hierarquia e o poder da igreja.  Ele é o primeiro de uma trilogia em um mundo interessantíssimo que envolve muita história, magia e até mesmo muita tecnologia.

O livro é centrado na história do arqueiro Thomas, um garoto que os leitores acompanharão desde os sete anos de idade enquanto vive sob a tutela de andarilhos que o criaram após a morte de sua mãe, durante seu parto. De acordo com o que ele cresce, o tom do livro muda, mostrando-se mais interessante, misterioso e cheio de aventuras. Desde pequeno o garoto possui estranhas visões e sonhos proféticos, sendo então repudiado por todos com quem vive. Uma nova etapa na vida de Thomas começa ao ser enviado para um Monastério sob a tutela de irmão Michel e futuramente do Mestre Dines. Thomas aprende muito durante esse período, tornando-se um rapaz inteligente, ágil e forte. Ele aprende sobre as diferentes Eras do passado, inclusive a Era da Tecnologia que foi bem parecida com a nossa realidade atual.

Outras aventuras também fazem parte da vida de Thomas, como o período em que vive no castelo da nobre família de Durham. Novos personagens são introduzidos e a história de seu passado começa a ser revelada. Alguns personagens que valem a pena ser destacados são Hughes De Angelis e seu sobrinho, Vince De Angelis, a feiticeira Hannah, Mark De Durham e Erin De Durham. Ao decorrer das páginas, o leitor, juntamente com Thomas, descobre mais sobre a família do rapaz, que esta envolvida em uma complicada trama, central para a história.

Nada é o que parece ser na vida de Thomas. Mentiras, omissões e manipulações são sempre parte do seu presente e do seu passado.

O livro mantém uma estrutura infanto-juvenil, podendo ser apreciado por diversas idades. Alguns elementos da trama podem passar despercebidos para os leitores mais novos, no entanto, são estes que apimentam a leitura jovem e adulta. A autora explora diversos temas como vida em outros planetas, as atitudes ecologicamente erradas dos seres humanos na Terra e suas consequências, a ganância, os diversos tipos de amor, etc. Devido a essa estruturação infanto-juvenil, o leitor mais velho pode achar o relacionamento e o desenvolvimento dos personagens mal explorado ou até mesmo infantil. No entanto, nada consegue tirar o brilho da história e a atenção do leitor.