A TRAIÇÃO


Por: Larissa Caruso

Um rancoroso uivo foi o único aviso que teve antes de ser atacado. O barulho da poderosa mandíbula fechando-se contra o ar soou próxima ao seu ombro direito deixou claro que escapara por pouco. Precisava dominá-lo e lembrá-lo quem era seu mestre. Ele era o senhor da noite, o rei da escuridão. Ninguém questionava sua autoridade sem receber a devida punição.

Outras três bestas de pelos negros projetaram-se com longos saltos em sua direção. Mais quatro tentaram golpeá-lo pelas costas. Pretendiam matá-lo. Como conseguiram planejar tal emboscada sem que percebesse? Era capaz de monitorar sua mentes, suas emoções. Sabia que seus servos eram indisciplinados, mas não esperava uma traição. Haviam cometido um grande erro.

Sua imagem transformou-se em um borrão alvo e negro enquanto desviava com velocidade sobrenatural daqueles que procuravam machucá-lo. Ganidos de dor intercalavam o silêncio cada vez que uma das criaturas atingia o chão, estonteada por sua própria força. Levantando os braços para o ar, sentiu o poder de seu elemento. Como no dia em que destruíra os infiéis, absorveu a noite dentro de sua essência novamente. A luz do luar desapareceu, assim como o brilho das estrelas. Não restou nada além da escuridão.

Os lobisomens o atacaram novamente, unindo suas mentes e bloqueando-o para que não pudesse prever de onde os golpes viriam. Foi então que entendeu como haviam planejado tudo sem que percebesse. Deixando que a ira o dominasse, fechou o punho direito com um gesto brusco, imaginando a garganta daqueles que o traíram sendo destruídas pela sua força.

Seus servos congelaram no ar, choramingando enquanto suas traqueias eram esmagadas. Mesmo assim, eles se curavam antes que a morte os alcançasse. Agora, entendia o seu erro. Deveria ter usado menos de seu sangue, adicionado uma pitada a mais de submissão. Tinha que ter usado mais cautela ao invés de criar centenas deles sem experimento prévio. O desejo de livrar o mundo daquela ameaça tornou-se ainda mais forte, não para o seu próprio bem, mas para o bem de seus filhos. Conseguia ver a fome nos olhos bestiais daqueles que enfrentava, dispostos a qualquer coisa para extinguir sua família.

O poder pulsou mais forte dentro dele, desintegrando, aos poucos, aquele corpo humano que escolhera para a vida eterna. Sabia que se os destruísse, tornar-se-ia um com a noite, consumido pelo poder que conjurara. Não importava. Precisava fazê-lo. Em sua mente, visualizou aqueles que compartilhavam o seu sangue na forma de um lobo, localizando um por um. Com um estalo de seus dedos, sentiu a conexão com seus servos ser quebrada. Carne, pele e sangue voaram em todas as direções, levando aqueles que nos ameaçavam a total extinção. O mundo estava livre dos lobisomens.

De certa forma, eles haviam vencido. O objetivo dos traidores era matá-lo e hoje, ele abdicou de sua imortalidade para salvar seus filhos. A matéria de seu corpo começou a se dissipar ao mesmo tempo em que o brilho retornou para a lua e as estrelas. Um último suspiro deixou seus lábios antes que se fundisse com seu elemento.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: